A Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) assumiu as investigações do assassinato da educadora Renata Melo do Amaral, 36 anos, morta quinta-feira passada, no Santa Cândida. Imagens de câmeras de segurança mostram um Uno vermelho passar e, em seguida, os dois bandidos correndo.

 

Dias antes a vítima teve o carro roubado. O veículo foi devolvido para Renata um dia antes do assassinato. Dentro do veículo, havia comprovantes de compras feitas num mercado e um equalizador para som automotivo. O delegado Renato Bastos Figueiroa, titular da DFRV, acha pouco provável que os mesmos bandidos tenham praticado o crime, para recuperar o material. “Acredito que tenha sido coincidência e o carro seria roubado pela segunda vez”, disse o delegado.

 

Tiro

Renata segurava o filho, de 3 anos, no colo quando foi assassinada com um tiro na cabeça num brechó de roupas infantis. A dupla teria fugido no Uno vermelho que ainda não foi localizado. Testemunhas começaram a ser ouvidas e um retrato falado deverá ser elaborado. Ela foi baleada porque teria mordido um dos bandidos. A criança caiu do colo e bateu a cabeça. “Nem bandidos admitem uma postura como essa. Quando os responsáveis forem presos terão de ficar isolados”, disse o delegado.