Operação realizado pela Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (Deam) resultou na apreensão de 500 caixas de fogos de artifícios, quatro mil fogos diversos sem embalagens e 340 rolos de fio com cerol – mistura de cola e vidro moído usado em linhas para empinar pipas.

O material estava exposto para venda em uma loja, situada na Rua Marte, no Sítio Cercado. De acordo com a polícia, o estabelecimento não possuía alvará de funcionamento.

O delegado Roberto Heusi de Almeida Júnior explicou que a Deam já vinha realizando operações a fim de fiscalizar as lojas que comercializam fogos de artifícios.

“Desde o mês passado fizemos algumas apreensões e a população passou a nos ajudar com denúncias. A partir dessas informações chegamos em mais uma loja que funcionava irregularmente”, contou. “Essas lojas não têm condições de armazenamento e não fazem a devida vistoria em seus produtos, podendo causar sérios acidentes aos moradores da região, bem como aos próprios funcionários”, alertou o delegado.

Perigo

Além dos fogos, os policiais se surpreenderam com a grande quantidade de cerol à venda no estabelecimento, o que é proibido por lei. Foram apreendidos 340 rolos de linha com cerol, 480 frascos com o líquido e 1,4 mil pacotes de cerol.

“Apesar da lei específica proibindo a fabricação, uso e venda do produto, por conta do risco de causar cortes profundos nas vítimas, ainda existem várias lojas que o comercializam”, ressaltou Roberto.

Motoqueiros e ciclistas são vítimas frequentes das linhas de cerol e já houve casos de mortes de pessoas que tiveram o pescoço cortado ao passar por locais onde garotos empinavam pipas com as linhas recobertas por caco de vidro moído.

O dono da loja foi encaminhado à delegacia, assinou termo circunstanciado e responderá pela posse de substância explosiva sem autorização. Caso ele não apresente a documentação que comprove a legalidade do estabelecimento, os materiais apreendidos serão destruídos. O proprietário também deverá receber multa pela comercialização do cerol.

De acordo com o delegado, as operações continuaram sendo realizadas em todos as lojas de fogos de artifício e a população pode denunciar qualquer irregularidade pelo telefone (41) 3883-7131.