No primeiro aniversário que passou na Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto (314 quilômetros de São Paulo), comemorado ontem, Suzane von Richthofen, agora aos 24 anos, recebeu a visita do advogado e ex-tutor Denivaldo Barni. Auto-intitulado protetor da jovem, Barni, única pessoa que a visita, lhe entregou um pacote de presente, segundo agentes da prisão.

Suzane está em Ribeirão Preto desde o dia 3 de setembro deste ano quando foi transferida do Centro de Ressocialização de Rio Claro (175 quilômetros de São Paulo) depois de denúncias de que estaria recebendo regalias.

Condenada a 39 anos e meio por participar do assassinato dos pais, permanece na ala de segurança da penitenciária acompanhada de duas advogadas acusadas de ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC), Libânia Catarina Fernandes, de 28 anos, e Valéria Dammous, de 40. De acordo com funcionários da penitenciária, Suzane não se relaciona com as advogadas de cela, está sempre quieta ou concentrada em seus pensamentos ou lendo a Bíblia.