A onda de ameaças de atentados em escolas e instituições de ensino chegou à maior universidade pública do Paraná, a UFPR. Nos últimos dias, mensagens têm circulado nas redes sociais de alunos ligados à instituição e também em aplicativos de mensagem que mostram ameaças de um massacre. Os avisos foram publicados na deepweb.

+Leia mais! Após ameaça de massacre, campus da UFPR é arrombado e tem computadores furtados

A mensagem, com conteúdo visivelmente discriminatório, dirige as ameaças a portadores do vírus HIV, mulheres e pardos. Além disso, o autor da mensagem deixa duas referências conhecidas de grupos racistas: Valhala, que vem da mitologia nórdica e seria um salão para descanso dos mortos; e uma sequência de números, que vem de um slogan de um famoso líder branco-separatista americano inspirado na obra de Adolf Hitler.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Na série de mensagens, o autor ainda adiciona um mapa do campus Politécnico, no Jardim das américas, e revela que o atentado será na instituição.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Resposta

Em nota, a universidade destaca que é uma das muitas instituições que convivem com as ameaças após o episódio ocorrido em Suzano-SP, em março. A UFPR afirma que acionou o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), as policias Militar e Federal, além do Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber) da Polícia Civil. A universidade também destacou uma equipe de segurança para ajudar nas investigações.

“A universidade está fazendo todos os encaminhamentos e providências necessárias a fim de proporcionar a manutenção de todas as atividades e preservar a integridade física da comunidade universitária. A Reitoria reitera o compromisso com os princípios democráticos, repudia quaisquer formas de violência e discriminação”, diz o texto.

Motorista estaciona em vaga regular e na volta se depara com baita multa em Curitiba!