O advogado Nilton Ribeiro fez um pedido à Justiça de São José dos Pinhais, na região Metropolitana de Curitiba, para que Allana Brittes retorne para a prisão. O advogado, que atua na assistência de acusação do caso, protocolou na sexta-feira (7) um pedido em que cita dois momentos em que Allana teria descumprido medidas cautelares como a de frequentar bares ou casas noturnas e de viajar sem autorização da Comarca de São José dos Pinhais. Segundo o advogado, as imagens destas situações estão postadas nas redes sociais de Allana. Pelo Instagram, a filha de Edison Brittes, assassino confesso do jogador Daniel Freitas, teve uma evolução de dois mil seguidores em 10 dias, passando de 76 mil para 78 mil.

+Leia mais! Bairro Jardim Botânico em Curitiba terá trincheira para desafogar o trânsito!

Já a defesa da jovem desmente a situação e critica a postura da assistência de acusação “Estamos criando um frenesi diante do pedido de liberdade de Edison Brittes. Apontam o Fresh Market, onde Allana postou fotos, como um bar. O Fresh, como é conhecido em toda a cidade e evidenciado em inúmeras reportagens, é apenas um centro gastronômico, uma grande praça de alimentação. Equivocadamente a assistência afirma que Allana deixou a comarca por conta de uma postagem de foto em Porto Belo, Santa Catarina. Porém, não se atentou a legenda ‘Back’ um ‘TBT’ (Movimento em que os internautas postam fotos do passado nas quintas-feiras, em inglês, Throwback Thursday), que traz a lembrança da jovem”, ressaltou Cláudio Dalledone Júnior.

Imagem revelada pela defesa de Allana Brittes mostra que a imagem é de 12 de outubro de 2018, meses antes da morte de Daniel Correa de Freitas. Foto: Divulgação.

Segundo a defesa, a foto foi tirada em 12 de outubro de 2018. “Allana segue todas as determinações da justiça e não infringiu absolutamente nenhuma regra”, ressaltou a defesa.

Acusações

Allana está em liberdade desde agosto, após conseguir um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ela ainda responde por fraude processual, corrupção de menores e coação ao curso do processo da morte do jogador Daniel Corrêa Freitas.

[iframe src=”https://especiais.tribunapr.com.br/wp-content/uploads/2018/09/whats-tribuna.html” width=”100%” height=”250″ style=”max-height:250px; overflow:hidden;” scrolling=”no”