A defesa de Edison Brittes, assassino confesso da morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, pediu nessa segunda-feira (2), à 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, a liberdade do réu. Ele é o único indiciado do caso que segue preso, na Penitenciária Central do Estado (PCE). O advogado de defesa do réu pede que o réu passe a usar tornozeleira eletrônica.

Segundo a defesa, o pedido tem base no fato de que a fase de depoimentos do processo está encerrado e o réu não oferece risco ao seu andamento.

A juíza da Vara, Luciani Regina Martins de Paula, não se manifestou sobre o caso.