O relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) Mista dos Correios, na parte relativa ao chamado esquema do "mensalão", pede à Justiça o indiciamento do publicitário Duda Mendonça, autor da publicidade da campanha presidencial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002 e de candidatos do PT em 2004.

Nesse trecho do parecer, Duda Mendonça é acusado de crime eleitoral e de sonegação fiscal. Mais adiante, o indiciamento dele e da sócia Zilmar Fernandes é recomendado pelos crimes de remessa indevida de recursos ao exterior e recebimento de dinheiro de origem duvidosa.

Duda Mendonça confessou, em depoimento espontâneo à CPI, que havia recebido do partido US$ 10,5 milhões (R$ 23,17 milhões em valores atualizados) no exterior, numa conta chamada Dusseldorf, em Nova York, mas não declarou esse dinheiro ao Fisco. Por isso, a CPI pede que o publicitário e Zilmar sejam indiciados também por sonegação fiscal e crime contra o sistema financeiro nacional e a ordem tributária, além de lavagem de dinheiro.