Apenas 50% do dinheiro das multas impostas à Petrobras, em 1998, pelo derramamento de óleo cru da Refinaria Presidente Vargas (Repar), em Araucária, nos rios Barigüi e Iguaçu,  foi gasto com meio ambiente no Estado até o momento. A informação é do presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Rasca Rodrigues. Na época, a Petrobras recebeu uma multa de R$50 milhões do IAP e mais três multas que totalizavam R$168 milhões do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)