O desempenho do candidato da coligação PSDB-PFL à Presidência da República, Geraldo Alckmin, no debate promovido ontem pela Rede Bandeirantes impressionou o presidente do PDT, Carlos Lupi, que nos próximos dias deve anunciar apoio ao tucano. "O debate foi muito forte, quente, e Alckmin teve uma posição convincente. Na média, Alckmin teve uma postura melhor, mais forte e acuou o presidente Lula", disse.

Na avaliação do presidente do PDT, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, conseguiu apenas equilibrar o debate quando passou a tratar de política externa. "Entendo que a audiência foi muito grande e uma parcela do eleitorado que votou em Cristovam Buarque (PDT) e em Heloísa Helena (PSOL) no primeiro turno depende fundamentalmente do debate para se decidir em quem votar no segundo turno", observou. "Alguns eleitores podem também mudar de candidato a partir do debate e, como Alckmin foi melhor, pode obter a transferência de alguns votos que foram de Lula", acrescentou.

O presidente do PDT em São Paulo, o deputado eleito Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, foi mais incisivo ao elogiar a desenvoltura do tucano no debate. "Alckmin mostrou que não é chuchuzinho, revelando firmeza, característica não identificada até então por parte do eleitorado", analisou. "Gostei bastante da forma como ele demonstrou a indignação que sentimos em relação ao governo Lula.

Amanhã, ao reassumir a presidência da Força Sindical, Paulinho anunciará apoio a Alckmin, antecipando-se à decisão do PDT, que só deve ser anunciada após reunião do Diretório Nacional no dia 16. "Vamos assumir nossa posição de apoio a Alckmin durante evento na Força. Entendo que o desempenho de Alckmin no debate trará um novo ânimo na militância em São Paulo, no Rio de Janeiro e principalmente no Nordeste, onde ele precisa de votos. Vamos trabalhar intensamente para a eleição de Alckmin", afirmou.