"A escola é o que são seus professores", pois somos nós que podemos, a partir da investigação da nossa própria prática e da reflexão sobre ela, construir um currículo voltado para a cidadania, mesmo sabendo que a escola não pode fazer milagres, mas tampouco, deve renunciar ao cumprimento de sua função formadora, seja qual for o meio social e cultural no qual se move.

É por isso que buscamos no poema de Pablo Neruda uma forma de dizer a todos vocês: acreditem, não desistam, vivam intensamente a ação de educar, pois nós podemos fazer a diferença.

Quem morre?

Morre lentamente
Quem não viaja, quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente
Quem destrói seu próprio amor,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito,
Repetindo todos os dias os mesmos trajetos,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor
Ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com seu trabalho ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto para
ir atrás de um sonho,
Quem não se permite,
Pelo menos uma vez na vida,
Fugir dos conselhos sensatos…

Feliz Natal e que nos próximos anos estejamos com muito, muito mais energia!

Deus abençoe a todos..