O pré-candidato do PT à Prefeitura de Curitiba, Angelo Vanhoni, continua liderando a preferência do eleitorado curitibano.

Em sondagem realizada pelo Instituto Experience Consultoria e Pesquisa no período de 27 e 28 de maio num universo de 600 entrevistados, divulgada com exclusividade pelo jornal O Estado do Paraná, Vanhoni é citado espontaneamente por 9% dos eleitores. O segundo colocado, o vice-prefeito Beto Richa (PSDB), teve 5% de indicações. O número de indecisos é muito alto: 67%, o que, segundo Bruno Lopes, responsável pelo instituto, mostra que a eleição está ainda indefinida na capital paranaense.

“Nesse quadro, pode-se imaginar tudo, até o surgimento de um terceiro nome, que encarnaria a possibilidade de uma mudança nos rumos da política e da administração da cidade”, observa. Na consulta estimulada, Vanhoni aparece com 28% da preferência do eleitorado: Beto, com 23%, Mauro Moraes (PL) 11%, Íris Simões (PTB) 8%, Luciano Ducci (PSB) com 6%, Ney Leprevost (PP) 5% e Osmar Bertoldi (PFL) com 5%.

Numa outra simulação, que inclui candidatos próprios do PMDB e do PPS, o quadro não chega a sofrer grande alterações: Vanhoni 28%, Beto 22%, Rafael Greca (PMDB) 13%, Mauro Moraes 12%, Ducci 6%, Rubens Bueno (PPS) 4% e Bertoldi 4%.

Quando o PMDB é representado pelo deputado federal Gustavo Fruet, Vanhoni sobe para 31%; Beto Richa para 25%; Mauro Moraes fica com 12%; Gustavo Fruet, 9%; Ney Leprevost, 5%; Flávio Martinez (PTB), 2%; e Neivo Beraldin (PDT), 1%. Entre os eleitores com mais de 50 anos, Beto Richa assume a liderança. O mesmo ocorre em relação à classe média.

O voto feminino, que representa 52% do eleitorado paranaense, terá um papel decisivo nas eleições de 3 de outubro. E aí os dois candidatos melhor colocados estão empatados. Enquanto os jovens de até 23 anos manifestam clara preferência por Vanhoni, na medida em que a faixa etária aumenta, a diferença entre o petista e o tucano diminui.

Rejeição

O campeão de rejeições é o ex-prefeito Rafael Greca, com 42%. Na seqüência, aparece um dos pré-candidatos do PTB, Íris Simões, com 29%; o pré-candidato petista tem 24%; Beto Richa, 20%; Flávio Martinez, 15%; Gustavo Fruet e Mauro Moraes empatados com 13%; Neivo Beraldin com 8%; Ney Leprevost e Rubens Bueno com 7%. Na última colocação, Luciano Ducci e Osmar Bertoldi com 6%.

Boa parcela da rejeição a Greca pode ser atribuida ao fato de ele já ter ocupado a Prefeitura, o que dá à população um referencial para julgar sua atuação. A isto se soma sua passagem pelo Ministério de Esporte e Turismo na primeira gestão de Fernando Henrique Cardoso, que encerrou prematuramente e sob uma série de denúncias.

Nesse quesito, o fato de ser mais conhecido não é exatamente uma vantagem: se aumentam as chances de aprovação, aumentam também as de rejeição. Os menos conhecidos têm chance de crescimento da aprovação na medida em que se tornarem mais familiares no período da campanha.

Leia na próxima terça-feira (dia 1.º de junho) os resultados da pesquisa feita sobre a avaliação dos governos municipal, estadual e federal, de acordo com os curitbanos.

No 2.º turno, petista mantém a vantagem

Para uma hipótese de segundo turno, foram feitas quatro simulações. Nas quatro, o pré-candidato do PT leva vantagem. No confronto com Beto Richa, o resultado é 45% para Angelo Vanhoni e a 41% para Beto Richa. O melhor desempenho de Vanhoni neste caso é na faixa etária de 18 a 23 anos, onde ele tem 59% de preferência contra 31% do adversário.

Num eventual segundo turno com Rafael Greca, Vanhoni tem 50% dos votos contra 33% do peemedebista. Entre os eleitores mais jovens seu desempenho cresce ainda mais, alcançando 70%. Aliás, em todas as situações simuladas na sondagem, é nessa faixa etária que o pré-candidato do PT tem o seu melhor desempenho. Na medida em que cresce a faixa de idade, os outros candidatos têm performances melhores.

Na hipótese de um embate com o petebista Íris Simões no segundo turno, Angelo Vanhoni mantém os 50%, enquanto Simões faz 30%. Na última simulação, com o pré-candidato do PL, Mauro Moraes, o petista faz 49%, contra 33% do deputado do Partido Liberal. O melhor desempenho de Moraes é na classe D/E, onde faz 39% e o petista 46%.

Experience entrevistou 600 pessoas

A Experience Consultoria e Pesquisa realizou 600 entrevistas com os eleitores distribuídos proporcionalmente ao eleitorado de Curitiba, nas características sexo, idade e grau de instrução, de acordo com as informações do TRE/PR (Tribunal Regional Eleitoral do Paraná), no período de 27 e 28 de maio. Os resultados foram processados com o software SPSS e as tabelas e gráficos montados no Excel.

A coleta dos dados foi feita através de entrevistas pessoais, utilizando questionário elaborado especificamente para esta finalidade. Das entrevistas realizadas, 20% passaram por verificação para validação das informações apresentadas, e 100% foram submetidas a crítica para a verificação da consistência dos dados.

Os resultados são apresentados em forma de tabelas para cada uma das questões propostas, com cruzamentos por sexo, idade e classe.

TRE/PR

Esta pesquisa está devidamente registrada e arquivada no TRE/PR, sob o número 110/04, de acordo com a Resolução n.º 21.576, que toma como base o artigo 105 da Lei 9.504, de 30 de setembro de 1997, e o artigo 23, IX, do Código Eleitoral.

A Experience Consultoria e Pesquisa Ltda. foi criada em 1996, sob o comando do psicólogo Bruno Ricardo de Souza Lopes, que trabalha na área desde 1976, inclusive com 20 anos de atuação no Ibope.