Aniele Nascimento
Seguranças da Alep retiraram os manifestantes de dentro da sala da Comissão.

Começou tumultuado o primeiro dia de sabatinas aos candidatos que pleiteiam o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), realizadas na manhã desta segunda-feira (08), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Carregando cartazes e faixas e protestando especialmente contra as candidaturas dos deputados Fábio Camargo (PTB) e Plauto Miró (DEM), um grupo de quatro manifestantes entrou na sala onde os candidatos estavam sendo ouvidos e foram retirados do local pelos seguranças das Alep, a pedido do deputado Elio Rusch (DEM), que preside a Comissão Especial que está ouvindo os candidatos.

Segundo a assessoria de imprensa da Alep, o deputado Elio Rusch pediu para que os manifestantes ficassem em silêncio, mas como eles começaram a gritar palavras de ordem, Rusch solicitou aos seguranças que retirassem o grupo para garantir que os depoimentos prosseguissem.

O tumulto ocorreu quando o candidato Eduardo Kardush prestava o seu depoimento. Após serem retirados, os quatro manifestantes acompanharam a sessão do lado de fora da sala.

A disputa para o cargo de conselheiro da Alep conta com 42 candidatos e a Comissão Especial ouvirá 10 candidatos por dia, entre hoje e quarta-feira, e na quinta-feira serão 12 os candidatos sabatinados, sempre pelas manhãs, entre 9h00 e 11h30.

Cada candidato tem seis minutos para se manifestar, prorrogáveis por mais quatro, sendo que a sabatina é obrigatória. Posteriormente, os candidatos que desejarem também podem se apresentar aos deputados em sessão plenária da Alep.

Os candidatos que participaram das oitivas hoje poderão falar no plenário na tarde de amanhã (09), já os que se apresentarem amanhã na Comissão falarão na quarta-feira (10) no plenário. Os candidatos que se apresentaram na quarta e quinta-feira poderão falar no plenário na segunda (15) e terça-feira (16) da próxima semana, respectivamente.

Pedido de impugnação

O advogado Fábio Zanon Simão protocolou um pedido de impugnação da candidatura do deputado Fábio Camargo (PTB) ao cargo de Conselheiro do TCE alegando falta de idoneidade moral por parte do candidato que, segundo o advogado, teve o registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) cancelado por falsidade ideológica.

O deputado disse que ainda não foi notificado oficialmente, mas que o pedido de impugnação não procede. “Eu estou licenciado da OAB. O meu trabalho na administração da Assembleia me impede de atuar no direito, ou seja, eu estou cumprindo a lei. Este é mais um ato de perseguição da família Simão contra mim”, completou o deputado.

A escolha

Segundo o presidente da Comissão, deputado Elio Rusch, após o encerramento das oitivas, é feito um relatório final informando quais são os candidatos que têm condições de ser conselheiro, que será entregue para o presidente da Alep, deputado Valdir Rossoni.

“O trabalho da Comissão é analisar se o candidato preenche os requisitos que constam no edital de convocação. São 42 candidatos e todos aqueles que cumprirem as exigências necessárias receberão um parecer positivo”, disse Rusch.

O novo conselheiro do TCE-PR ocupará a vaga deixada por Hermas Brandão, que se aposentou, e a escolha será feita pelos 52 deputados estaduais, em sessão plenária, com voto secreto.

Para ser eleito, o candidato precisa obter 28 votos em primeira votação. Caso isto não ocorra, os dois candidatos mais votados disputam o cargo em segunda votação, sendo vitorioso quem tiver o maior número de votos.