O governador Roberto Requião determinou a investigação de todas as compras de medicamentos feitas através de licitação no governo que o antecedeu. O motivo foram as denúncias da Operação Vampiro, da Polícia Federal, que levantam a possibilidade da existência de corrupção na compra de remédios em todo o Brasil.

Por ordem do governador, as compras de medicamentos para a Secretaria da Saúde e ao sistema penitenciário serão acompanhadas com rigor pelos secretários das pastas. A informação foi divulgada durante reunião da Operação Mãos Limpas, realizada ontem.

Assim que assumiu o governo, Requião mudou o sistema de compras pelo Estado, que antes era por licitação, para o pregão eletrônico. Com isso, a aquisição de material e equipamentos foram abertas para fornecedores de todo o País e com o apoio do Banco do Brasil, que coordena esse tipo de pregão.

Economia

Com a alteração do sistema, o governo já sentiu diferença no valor desembolsado com as compras de medicamentos. “A mesma quantidade de medicamentos, comprada pelo governo anterior ao custo variável de R$ 2 e R$ 3 milhões, hoje está custando entre R$ 200 mil e R$ 300 mil”, comparou. “Essa mesma situação se repete no sistema penitenciário”, completou.

Requião determinou à Ouvidoria e Corregedoria-Geral do Estado levantamento de todos os processos de licitação, nos quais seja constatada diferença no valor do pagamento de até 10 vezes, em relação às compras atuais, e procure identificar quem são os fornecedores. O resultado desse trabalho será encaminhado ao Ministério Público.