O vice-presidente eleito, Michel Temer (PMDB), afirmou hoje que a equipe de transição recebeu da presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), uma mensagem de redução de gastos do governo – o que deve se refletir na análise do Projeto de Lei Orçamentária que será feita pelo grupo. Temer não citou pontos específicos de preocupação, mas disse que “não há ideia de aumento de despesas”, apesar de as discussões sobre os gastos do próximo governo estarem em fase inicial.

“Ela (Dilma) quer reduzir despesas. Não há ideia de aumento de despesas, mas é preciso verificar o que vai acontecer neste fim de ano, especialmente com os projetos que estão na Câmara e no Senado, para verificar se existe necessidade ou não de algum ajustamento”, afirmou o peemedebista.

Após uma cerimônia em que recebeu uma comenda do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro, Temer reforçou que o orçamento ainda será avaliado pela equipe de transição, mas que espera aprová-lo este ano.

Confirmando os papéis desempenhados pelos integrantes da equipe de transição, Temer afirmou que caberá aos deputados Antonio Palocci e José Eduardo Cardozo as questões do âmbito administrativo da transição. A ele e a José Eduardo Dutra foi atribuída a dimensão política.

“Vou conversar com todas as bancadas (no Congresso), com todos os partidos – como farão os demais membros da comissão (de transição). Vamos tentar fazer uma coisa extremamente harmoniosa”, disse.