enkontra.com
Fechar busca

Política

'Ministeriáveis'

Veja quem pode assumir ministérios caso Bolsonaro vença a eleição

Jair Bolsonaro tem uma ideia de nomes para compor seu ministério caso saia vitorioso das urnas no 2º turno. Veja alguns deles

  • Por Evandro Éboli - Gazeta do Povo
Jair Bolsonaro ao lado do economista Paulo Guedes, forte candidato a ser ministro da Fazenda caso o presidenciável vença a eleição. Foto: Reprodução/Instagram

Sem legendas fortes ao seu lado e com um discurso de que na composição de seu governo não haverá o famoso “toma lá dá cá” com o Congresso Nacional, Jair Bolsonaro (PSL) já tem uma ideia dos nomes que irão compor o seu ministério, caso saia vitorioso das urnas no segundo turno.

O presidenciável, ao contrário do que disse no início da campanha, não anunciou seu ministério ainda, mas, no decorrer desse período, foi citando nomes e dando dicas. Ele prometeu reduzir o número de ministérios, que hoje são 29, para 15 pastas, unificando várias áreas.

Para um dos cargos mais importantes, o comando da Casa Civil, Bolsonaro já anunciou o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS). O economista Paulo Guedes será o seu comandante da área econômica. Ele criará o Ministério da Economia, que juntará Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio. Na pasta de Ciência e Tecnologia, já citou várias vezes o astronauta Marcos Pontes, mas declarou também que ele não tem tanta experiência e pode ser aproveitado em outro cargo.

Os militares terão força e presença em seu governo. Bolsonaro repetiu várias vezes que militares são menos corruptos que os civis. O general Augusto Heleno, que integra sua equipe, é cotado para alguma área estratégica. Pode ir para o Ministério das Minas e Energia, por exemplo. O presidente do PSL, Gustavo Bebianno, que é advogado, pode ocupar o Ministério da Justiça.

Por enquanto não há uma mulher na lista. Bolsonaro diz que não indicará uma mulher para ter “cota” no seu governo, mas que irá escolher os melhores. Que, já disse, podem ser todas mulheres. Não é o caso até agora.

Conheça os nomes  especulados para um eventual ministério

Paulo Guedes (Ministério da Economia)

Bolsonaro tem o hábito de dizer que não entende o que Paulo Guedes viu nele. O economista foi definido por ele como seu “posto Ipiranga”, numa alusão a propaganda. Reconhecendo não entender de economia, Bolsonaro joga tudo nas costas dele. Vai comandar um super ministério, já que serão unificadas a Fazenda, o Planejamento e a Indústria e Comércio.

Onyx Lorenzoni (Casa Civil)

Articulador político de Bolsonaro, o deputado gaúcho promoveu almoços com parlamentares em busca de apoios no Congresso. Fiel ao “capitão”, Lorenzoni não acatou a orientação de seu partido, o DEM, em apoiar Geraldo Alckmin.

Gustavo Bebianno (Justiça)

O advogado, que preside o PSL, foi o responsável pelos acordos políticos. Gustavo Bebianno negociou a filiação de Bolsonaro ao PSL e controla o partido, excluindo Luciano Bivar do comando. É tido como centralizador e enfrentou divergências internas. É braço-direito do presidenciável

Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia)

O astronauta. Talvez um dos nomes mais citados por Bolsonaro durante a campanha. O profissional ideal para essa pasta. Mas, em uma declaração recente, disse que falta a ele experiência para ocupá-la. Na entrevista seguinte, voltou a citá-lo como ministeriável. Portanto, uma incógnita.

Augusto Heleno (Defesa ou Minas e Energia)

Seria o vice de Bolsonaro não fosse a resistência do partido ao qual era filiado, o PRP, que não aprovou a aliança. Ajudou na elaboração do plano de governo. Bolsonaro quer um militar no Ministério da Defesa, que pode ser o general Heleno. Mas ele é mais cotado para a área de Minas e Energia, que trata de temas estratégicos e afeitos aos militares.

Oswaldo Ferreira (Transporte)

Bolsonaro quer um militar nessa área. Cita o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes) como um nicho de corrupção. É o setor que trata de grandes obras rodoviárias. General da reserva, Ferreira ajudou a formular o plano de governo.

Luiz Nabhan Garcia (Agricultura e Meio Ambiente)

Presidente da União Democrática Ruralista (UDR), ele tem apresentado grandes produtores rurais a Bolsonaro e o aproximou do setor do campo. A proposta do presidenciável é fundir os ministérios da Agricultura com o Meio Ambiente, tido como um entrave pelo setor rural. A bancada ruralista, que o apoia, pode interferir nessa escolha.

Stravos Xanthopoylos (Educação)

Um dos principais conselheiros de Bolsonaro na área de educação, Xanthopoylos é diretor de relações internacionais da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) e ex-integrante da Fundação Getúlio Vargas. É conhecido na campanha como “o grego”. Ficaria responsável ainda pelas pastas de Cultura e Esportes, que seriam unificadas junto com Educação.

Henrique Prata (Saúde)

Prata é presidente do Hospital do Câncer de Barretos e homem de confiança de Bolsonaro. O deputado já fez mais de uma visita ao hospital administrado por Prata, além de ter destinado emendas parlamentares para a instituição. Outra aposta para a pasta é Nelson Teich, empresário e médico oncologista do Rio de Janeiro.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Ausência de Bolsonaro pode render espaço ‘valioso’ a Haddad na TV

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

26 Comentários em "Veja quem pode assumir ministérios caso Bolsonaro vença a eleição"


Edson Oliveira
Edson Oliveira
9 meses 11 dias atrás

Infelizmente, não há quem entre na política e seja honesto.

Mas, para os asnos que possuem políticos de estimação – seja de esquerda ou direita, tudo é permitido.

https://www.terra.com.br/noticias/eleicoes/guru-economico-de-bolsonaro-e-investigado-por-suspeita-de-fraude-diz-folha,a6247ce3020d7fa

Rafael Pilha
Rafael Pilha
9 meses 11 dias atrás

Nosso Presidente colocará o Brasil no eixo novamente, nosso país NUNCA MAIS SERÁ VERMELHO ( só de sangue de sem-terra que fizer baderna e depredação )

Daniel Tozzi
Daniel Tozzi
9 meses 12 dias atrás

Articulador de apoios a Bolsonaro, deputado confessou caixa dois
Onyx Lorenzoni admitiu ‘erro’ na campanha de 2014

O Globo

E aí maior, esta fonte é mais confiável ?!

EDI Rubro Negro
EDI Rubro Negro
9 meses 12 dias atrás

Rapaz, o chefe do Haddad tá preso já condenado em 2ª instancia, quer fonte melhor que o TRF. Sem contar que os caciques do partido também.

Edson Curitiba
Edson Curitiba
9 meses 12 dias atrás

Só de imaginar possíveis ministros do Haddad dá medo: Cultura: Dilma Russef, Fazenda: José Dirceu, Justiça: Gleise, Casa Civil: O molusco, Agricultura: Estédile MST, e a volta dos condenados na lava jato a todos os demais cargos estratégicos. Ô loco meu!

Domingos Frederico Orlandi Neto
Domingos Frederico Orlandi Neto
9 meses 12 dias atrás

Esqueceu o Jean Wyllys na pasta da educação! É pra fechar o caixão!

MAIOR DO ESTADO
MAIOR DO ESTADO
9 meses 12 dias atrás

o haddad gastou 650mil/km pra pintar ciclofaixa em sao paulo

imagina o que ele vai fazer com a petrobras kkk

Daniel Tozzi
Daniel Tozzi
9 meses 12 dias atrás

Favor citar a fonte desta sua informação !!

EDI Rubro Negro
EDI Rubro Negro
9 meses 12 dias atrás

Se a Moderação aprovar, postei pelo menos 4 fontes. Mas dê um google e veja por si mesmo, a informação é essa mesma. Aproveite também e pesquise “como fazer buscas avançadas no google”

EDI Rubro Negro
EDI Rubro Negro
9 meses 12 dias atrás

Tem Na Istoé, Folha de São Paulo, G1, Veja… enfim, todos os meios de comunicação, inclusive dizem que ele já é Réu improbidade administrativa na qual o MP pede a condenação do petista pelo suposto prejuízo de 5,2 milhões de reais aos cofres da prefeitura com a construção da mesma.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas