O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse nesta quinta-feira, 16, que nunca se encontrou com o ex-tesoureiro do Partido dos Trabalhadores (PT), João Vaccari Neto. “Nunca participei de nenhuma atividade de financiamento de campanha”, afirmou, em depoimento na CPI da Petrobras na Câmara dos Deputados.

Coutinho admitiu, no entanto, ter se encontrado com o tesoureiro da campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff, Edinho Silva, que atualmente ocupa o cargo de Ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. “Se não me falha a memória, encontrei com o ex-deputado estadual (por São Paulo) Edinho Silva no ano passado para tratar de projetos referentes à região dele, Araraquara”, alegou.

O executivo também foi questionado sobre sua declaração de bens e se tinha contas no exterior. “Toda a minha declaração de bens está depositada junto ao Comitê de Ética Pública. Não sei se a CPI tem a prerrogativa de quebrar sigilo bancário, mas creio que não seja esse o caso”, respondeu.

Petrobras

Coutinho disse que espera que a divulgação do balanço da Petrobras possa ajudar a empresa a superar suas dificuldades financeiras atuais. O Conselho de Administração da Petrobras, presidido por Coutinho, se reúne na próxima semana. “Espero que qualquer tipo de risco financeiro para a Petrobras possa ser página virada a partir da demonstração contábil da companhia.”

Ele disse ter confiança na recuperação do valor das ações da Petrobras no longo prazo. “Temos confiança na recuperação das ações da Petrobras no longo prazo, mas não vou fazer vaticínios porque, como presidente do conselho de administração da empresa, eu não posso tecer comentários sobre o assunto”, comentou.

Em resposta aos parlamentares, Coutinho afirmou que os novos membros da direção da Petrobras têm trabalhado pela recuperação da empresa. “Os novos diretores que assumiram diligentemente buscaram o melhor para a companhia e participaram no período recente de maneira proativa no esclarecimento dos processos de desvio”, completou.

Abreu e Lima

Coutinho disse ainda em seu depoimento à CPI da Petrobrás que não houve aditivos de financiamentos do banco de fomento para o projeto de construção da Refinaria de Abreu e Lima (Rnest) pela Petrobras em Pernambuco. A obra, concluída no ano passado, tem sido investigada por indícios de superfaturamento

“Várias razões podem ter contribuído para o aumento do custo de Abreu e Lima”, disse o executivo, sem entrar em detalhes. Segundo ele, não era possível identificar processos de corrupção no projeto sem a ajuda de meios de investigação “de natureza policial”. “Se tivéssemos desconfiança, teríamos tomado as providências devidas”, completou.