O prefeito de Laranjeiras do Sul, Jonatas Felisberto da Silva, o Berto Silva (PMDB) foi condenado, ontem, por improbidade administrativa pela 1.ª Vara Cível do município.

A juíza Márcia Hübler Mosko considerou parcialmente procedente denúncias do Ministério Público (MP) de que Berto teria contratado fornecedor de álcool combustível sem licitação e comprado quantidades exorbitantes do produto para o município.

Na ação, também foram condenados o secretário municipal de finanças, Osmar Daga, o ex-chefe do departamento de compras, Luiz Dalmir Linhares, o funcionário público municipal Gilson Cella e o empresário Luiz Carlos Lispki, proprietário do Auto Posto Lalaco.

Segundo o MP, a prefeitura contratou o posto sem licitação e passou a adquirir álcool antes mesmo de celebrar o contrato. Mas o dado mais agravante da denúncia é a quantidade comprada em pouco mais de um ano.

De acordo com o MP, entre 1.º de fevereiro de 2005 e 15 de março de 2006, a prefeitura comprou 459.638,55 litros de combustível, quantidade esta que possibilitaria abastecer toda a frota de maquinas do Município por 153 vezes. Apenas de álcool, foram comprados mais de 12,6 mil litros, sendo que a prefeitura só possui dois automóveis.

Berto Silva foi condenado, em primeira instância, à perda da função pública, suspensão dos direitos políticos pelo prazo de oito anos ressarcimento aos cofres públicos, solidariamente aos demais réus, de R$ 754.392,89 e multa de 20 vezes o salário que recebia como prefeito em 2006.

Ainda cabe recurso da decisão e o prefeito seguirá no cargo até a sentença definitiva. A assessoria de imprensa da prefeitura informou que Berto estava retornando de viagem e que deve reunir-se hoje com a procuradoria jurídica para preparar o recurso. Ele tem 15 dias para recorrer.