O advogado Moacir José de Oliveira (PMDB) foi eleito no último domingo o novo prefeito de Paiçandu (localizada a 10 quilômetros de Maringá), com 52,15% dos votos válidos. Ele obteve 8.392 votos de um total de 16.093 votos. O resultado oficial da eleição foi conhecido por volta das 20h. Nas eleições de 2000 Moacir Oliveira ficou em segundo lugar, com uma diferença de apenas 284 votos.

A eleição atípica ocorreu porque o prefeito, Jonas Eraldo Lima (PTB) e o vice-prefeito, Harlodo Françoso, tiveram seus diploma cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O novo prefeito foi um dos líderes do movimento responsável pela cassação de Lima em 10 de dezembro do ano passado, sob acusação de distribuir cestas básicas e dentaduras em troca de votos.

A candidata Maria Rita Braz Zirondi, da coligação União e Paz (PSDB/PFL) foi a segunda mais votada, com 5.628 votos (34,97% dos votos válidos); o vereador Anísio Monteschio Júnior, da Coligação Paiçandu em Novas Mãos (PTB/PSC/PSB/PPB) ficou em terceiro lugar, com 1.762 votos (10,95%); Waldomiro Roque de Oliveira (PTN) recebeu 227 votos e Aparecido Pereira Rosa (PPS) foi o último colocado, com 84 votos.

Durante o período de votação 64 eleitores foram presos. Destes, 59 foram acusados de fazer boca de urna, e outros cinco de estar bebendo em um bar com as portas abaixadas. O dono do estabelecimento também foi detido. Todos foram liberados após o término da votação.

A candidata Maria Rita Zirondi entrou com um pedido de impugnação da eleição na Justiça Eleitoral, em Maringá. Ela argumentou arbitrariedade da polícia na prisão de um grupo de eleitores seus. Segundo Maria Rita eles estariam apenas vestindo camisetas de sua campanha, o que é permitido por lei.

A juíza eleitoral Liége Aparecida Benatti vai analisar o pedido de impugnação, e só então a data de posse será definida. O prazo legal para a diplomação do prefeito e do vice, Nelson Teodoro de Oliveira, termina em 4 de junho.