Arquivo / O Estado
Arquivo / O Estado

Rosinha: sem conivência.

Ex-ministro da Previdência e do Trabalho no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o atual secretário-geral do diretório nacional do PT, Ricardo Berzoini, disse que o presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), deve se afastar da presidência da Câmara se não tiver uma resposta convincente à denúncia de que cobrava propina do empresário que detém a concessão de um dos restaurantes da Câmara Federal.

Berzoini disse que a falta de uma explicação do presidente da Câmara vai minando sua autoridade no Legislativo. "Ele tem que explicar de maneira clara se houve ou não o pagamento. Se houver uma resposta firme e nenhum obstáculo às investigações, não há necessidade de se afastar", afirmou.

Para o candidato à presidência nacional do PT, não há paralelo entre a crise que atinge o governo e os percalços enfrentados pelo presidente da Câmara. "Não há provas da existência do mensalão. O presidente Lula refutou de forma clara a acusação", disse o secretário-geral do PT. Berzoini afirmou que todas as investigações realizadas até agora não incriminam o governo em nenhum momento. "O que se apurou até agora foi uma ação desastrada de parte das pessoas que eram encarregadas do financiamento da campanha eleitoral. Não há nenhuma prova de corrupção no governo", afirmou.

Pelo afastamento

Já o deputado federal Dr. Rosinha defendeu a saída do presidente da Câmara. "O PT está claudicante. Está titubeando diante das denúncias contra Severino", disse Dr. Rosinha. "Não podemos ser coniventes. Temos que pedir já o afastamento dele da presidência da Câmara", disse.