O presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), disse nesta segunda-feira que acompanha com atenção as denúncias que sinalizam o estreito relacionamento entre parlamentares e o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. “Todas as denúncias sobre este caso são muito graves e dão conta de um envolvimento não adequado entre senadores e deputados que tinham um relacionamento com o cidadão chamado Carlos Cachoeira”, afirmou. “São denúncias graves que chocam a todos e que vão precisar ser investigadas no âmbito do Judiciário e no âmbito da Câmara.”

O parlamentar, que participou nesta manhã de um evento sobre agenda legislativa, promovido pela FecomercioSP, declarou também que aguarda a análise técnica e as informações solicitadas à Procuradoria Geral da República (PGR) para tomar uma decisão sobre a abertura de uma CPI para investigar o caso. “Tem casos que nem vão precisar de CPI, vão direto para o Conselho de Ética, mas vão depender das informações (da PGR)”. O parlamentar argumentou que ainda não tem uma opinião pessoal sobre abertura de CPI.

Indagado sobre um possível envolvimento do deputado petista Rubens Otoni (GO) com Cachoeira, Maia afirmou que as denúncias contra o colega do PT não são novas e são discutidas pelo partido em Goiás desde 2004. “O deputado não aparece em situação de investigação da Polícia Federal, tanto no âmbito anterior como nesta operação.”