Murta Ramalho e Aldo de Almeida Junior
foram denunciados pelo Ministério Público.

A juíza federal Bianca Georgia Cruz Arenhart, da 2.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, recebeu integralmente a denúncia do Ministério Público Federal contra 49 pessoas (doleiros, aliciadores de “laranjas”, “laranjas”, gerentes de bancos e de duas transportadoras) por movimentações financeiras fraudulentas em contas correntes de “laranjas” em 1996.

A denúncia foi protocolada no dia 22 de abril deste ano. Especializada em crimes contra o Sistema Financeiro Nacional (ocultação e remessa ilegal de divisas ao exterior) e de lavagem de dinheiro, a 2.ª Vara Federal prossegue trabalho iniciado pelo Banco Central. As investigações iniciais apontam que as empresas transportadoras de valores, TGV Transporte de Valores e Prosegur Brasil Transportadora de Valores e Segurança simulavam o repatriamento de divisas.

Ainda de acordo com a denúncia, funcionários dos bancos Banestado, Banco do Brasil, Bamerindus, Banco Meridional e Banespa teriam participado das operações, burlando autorizações especiais referentes a contas CC5 para a praça de Foz do Iguaçu. Neste esquema, os denunciados movimentaram US$ 4,11 bilhões.

Acusados

Do Banestado, foram denunciados pelo MPF: o ex-presidente Domingos Tarço Murta Ramalho; e os ex-diretores e ex-gerentes Aldo de Almeida Junior, Sérgio Elói Druszc, Luiz Acosta, Carlos Donizeti Spricido, Rogério Luiz Angelotti, Clozimar Nava, Alcenir Brandt, Altair Fortunato e Benedito Barbosa Neto. Destes, já tiveram prisão preventiva decretada e foram liberados por força de habeas corpus concedidos pelo TRF da 4.ª Região (Porto Alegre), Aldo Almeida, Luis Acosta, Carlos Donizetti Spricido e Benedito Barbosa Neto.

Da TGV Transporte de Valores, foram denunciados Roberto Bonfim, Marco Rafael Firmino e Alfonso Antunes; da Prosegur Brasil, Clodimar Alves Barroso. Os doleiros incluídos na lista são Benício Alonso Godoy, Rubens Alonso Godoy, Domingo Diosnel Penayo Vaida, Juan Carlos Garcia Bobadilla, Hugo Cezar Molinas Neffa, Adelio Trigo Ovelar, e Nestor Reinaldo Morel Aquino. Como aliciadores de “laranjas” Omar Eduardo Faouakhiri, Carlos Alberto Klein e Samer Soeid.

Do Banco do Brasil foram denunciados Luiz Antonio Paganini, Egon Schultz, Danilo Angst, Osvaldir de Souza Teixeira, Clóvis João Travassos Tagliaro, Luis Fernando Gaiardo, Ataídes Kunkel, João Batista de Almeida, Dalva de Oliveira Assis, Aparecido Manoel de Souza, Otávio Marinho dos Santos, Claudinei Luiz Dapper, Hélio Zanelli e Paulo João Scandalo. Do Banco Bamerindus a lista do MPF contempla Vilimar Pedro Irber, Devanir Avigo, Hélio Zanelatto e Amauri Rafaelli.

Do Banespa: Paulo Sérgio Fernandes Philomena, Olavo Lucas de Sousa, José Delfuzzi Filho e Maria de Lourdes S. Michelan. E, do Banco Meridional, Dimas Disarsz, Daniel Bavaresco e José Kiechle.