enkontra.com
Fechar busca

Política

Bufunfa

Gaeco encontra R$ 370 mil em empresa de ‘primo’ de Richa

“Primo distante” de Beto Richa, Luiz Abi Antoun é investigado por participar do esquema de fraude em licitações do programa Patrulha do Campo

  • Por Luana Harumi - especial para a Gazeta do Povo
Foto: Gilberto Abelha/Jornal de Londrina
Foto: Gilberto Abelha/Jornal de Londrina

Luiz Abi Antoun, preso em ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na última terça-feira (11), permanecerá detido na 1ª Penitenciária Estadual de Londrina (PEL I). Assim como ocorreu com o ex-governador Beto Richa, seu primo, e com a ex-primeira-dama Fernanda Richa, sua prisão é provisória: cinco dias, prorrogáveis por mais cinco. Nesse período, prestará depoimento. De acordo com o coordenador do Gaeco em Londrina, Jorge Barreto, o empresário (que nega as acusações) está em ala especial para prisões temporárias, separado dos demais detentos.

A detenção foi feita durante a manhã na residência de Antoun, em um prédio de alto padrão no centro de Londrina. O Gaeco também executou mandado de busca e apreensão na empresa de reciclagem de alumínio da família do empresário, na região oeste da cidade. Lá, a equipe encontrou R$ 370.558,00 em espécie, além de 2,7 mil dólares e 80 euros. A ação faz parte da Operação Rádio Patrulha, que expediu outros 14 mandados de prisão temporária no Estado – entre eles, o do ex-governador e atual candidato ao Senado Beto Richa (PSDB), preso em Curitiba.

A operação investiga fraudes no processo de licitação do programa de manutenção e melhoria de estradas rurais Patrulha do Campo, com benefício a empresas predeterminadas e esquema de propinas. Tratado como “primo distante” por Richa, Antoun é apontado como uma das figuras mais influentes nas principais questões políticas do Paraná, apesar de não ocupar formalmente qualquer cargo público.

+ Gravações feitas por Tony Garcia derrubaram grupo de Beto Richa do poder

“Luiz Abi funcionava como uma espécie de intermediário entre o [ex-] governador [Beto Richa], os secretários e os empresários, fazendo uma ponte entre empresas e agentes públicos”, explicou Barreto. Segundo provas apresentadas em acordo de delação premiada com o ex-deputado estadual, e também integrante do esquema, Tony Garcia, Antoun seria o responsável por designar lotes da licitação, além de atender empresários. As provas apontam, ainda, que os participantes teriam criado um grupo de WhatsApp para conversar sobre acertos de propina, intitulado “Grupo Pauta Divergente”.

O empresário já havia sido denunciado em 2015 pelo Gaeco como líder de esquema de fraude de licitação de R$ 1,5 milhão para manutenção da frota oficial do Estado na região de Londrina, na Operação Voldemort. Na época, Antoun acabou condenado com outras seis pessoas.

Outro lado

Em nota, a defesa de Antoun disse que considera a prisão desnecessária, e que o empresário tem colaborado com as investigações. “Luiz Abi Antoun, que reside em Londrina, sequer conhece parte dos investigados e não mantém contato com os demais há anos”, afirmou.

A defesa do ex-governador Beto Richa informa que não há razão para o procedimento desta terça (11), especialmente em período eleitoral, segundo a advogada Antônia Lélia Neves Sanches. Ela completa que Richa está sereno e sempre esteve à disposição para esclarecimentos. De acordo com a advogada, não há vedação de prisão por conta do período eleitoral, “mas há oportunismo”.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Vídeo: Cabo Daciolo (Patriota) quer derrubar todas as estátuas da Havan

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

3 Comentários em "Gaeco encontra R$ 370 mil em empresa de ‘primo’ de Richa"


Carlos Gomes
Carlos Gomes
10 dias 7 horas atrás

Seu comentário aguarda moderação, pq? Se não tem nada de palavrões etc no comentário.

vanderlei ribeiro
vanderlei ribeiro
10 dias 22 horas atrás

kkkkkkkk esse tico tico e pra pagar o ipva da ferrari do betinho

Cláudio
Cláudio
10 dias 22 horas atrás

Solta o homi.
Esse dinheirinho é um tico tico de latinhas de alumínio que ele revende na reciclagem.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas