O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa chegou na tarde desta quarta-feira na sede da Polícia Federal, na zona portuária do Rio, acompanhado de três advogados. Ele foi preso hoje, pela segunda vez, em sua casa, após ter uma conta no valor de US$ 23 milhões bloqueados na Suíça, a pedido do órgão equivalente ao Ministério Público suíço. A prisão preventiva foi decretada pelo 13ª Vara Federal de Curitiba sob alegação de risco de fuga.

Costa chegou à sede da Superintendência da PF no Rio acompanhado dos advogados, que não falaram com a imprensa. Ele será conduzido a Curitiba, mas ainda não há confirmação do horário ou se a transferência será com avião da corporação.