O ex-secretário de Governo da administração Jaime Lerner, José Cid Campêlo Filho, ingressou com uma ação de indenização por danos morais contra o governador Roberto Requião, o governo do Estado, a Editora O Estado do Paraná e a Editora 3.ª Via de Comunicação (Hora H), recebida pelo juiz Osório Moraes Panza, da 2.ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba. Cid Campêlo reclama ter sido atingido em sua honra por declarações de Requião e publicadas por veículos de comunicação, inclusive este O Estado do Paraná. O pronunciamento do governador foi feito durante uma solenidade de liberação de verbas para o transporte escolar, em maio último. Na ocasião, Requião fez referência à prisão de Cid Campêlo Filho e Ingo Hubert (ex-secretário da Fazenda e ex-presidente da Copel), citados no depoimento do doleiro Alberto Youssef à Justiça Federal. “É interessante ver pela primeira vez no Paraná ladrões do dinheiro público na cadeia”, afirmou o governador em discurso dirigido a prefeitos que participaram da solenidade.

“Irônico, o governador disse aos prefeitos que o PMDB mandou confeccionar um poster com a imagem do ex-secretário Cid Campêlo atrás das grades”, noticiou na época este jornal. E mais adiante: “O Pessuti sempre me falava em cadeia produtiva e eu não entendia muito bem. Descobri o significo na semana passada, quando vi o Ingo e o Cid na prisão. Esta é a cadeia produtiva que o Paraná inteiro esperava”, provocou.

Por ter publicado as declarações públicas do governador do Estado, Cid Campêlo acionou os jornais, que “não só caluniaram, difamaram e injuriaram o autor, como agiram com culpa, ficando, portanto, obrigados a reparar os danos”. Pediu a fixação de indenização, “em quantia que não pode ser fixada em valor irrisório” e a publicação da sentença final. A ação está sendo contestada em juízo pela Editora O Estado do Paraná.