O juiz Artur dos Santos e Almeida arquivou o processo contra o cantor e compositor Tonho Crocco, autor do rap Gangue da Matriz, um protesto contra o aumento de 73% que os deputados estaduais do Rio Grande do Sul concederam a eles mesmos em dezembro do ano passado. A decisão foi tomada hoje, a pedido do deputado federal Giovani Cherini (PDT/RS), que retirou a representação que havia encaminhado em janeiro deste ano, quando ainda era presidente da Assembleia Legislativa.

O parlamentar alegou que não é parte interessada, não teve seu nome citado na obra do músico, e só solicitou a análise do caso ao Ministério Público a pedido de colegas que haviam se sentido ofendidos pela música. A Justiça promoveria audiência preliminar de conciliação no dia 15, mas considerou que não há necessidade de levar o caso adiante porque não há queixa formal dos demais deputados.