São Paulo, 23 (AE) – A Polícia Federal prendeu hoje, às 9 horas, o chinês Julio Law, irmão de Law Kim Chong, o maior contrabandista do País. Julio teve decretada a prisão temporária de cinco dias e vai ter de explicar a origem de 18 toneladas de produtos eletroeletrônicos apreendidas em dois contêineres, no Porto de Santos, na Baixada Santista, também hoje.

Julio foi seguido de sua casa em Alphaville, na Grande São Paulo, até uma de suas empresas, na Rua 25 de Março, no centro da capital, onde foi detido. De lá, foi levado para a sede da PF, em Pirituba, zona oeste.

Segundo a polícia, os produtos estavam em nome de uma das empresas de Julio. O delegado Antonio Wagner Castilho disse que, além de eletroeletrônicos, foram apreendidos tênis, bolsas e relógios, todos falsificações de marcas famosas.

O contêineres saíram da China, seguiram até a África, onde foram alteradas a procedência e o conteúdo dos produtos, e entraram no Brasil pelo Porto de Santos, como se tivessem uma carga de plásticos.

Cinco delegados e 31 agentes federais participaram da operação, desde a apreensão dos produtos à detenção de Julio Law. A prisão dele foi decretada pelo juiz Hélio Egydio de Matos Nogueira, da 6.ª Vara Criminal Federal, e pode ser prorrogada por mais cinco dias. Julio Law foi indiciado por contrabando, descaminho e sonegação fiscal.

Law Kim Chon está preso no setor de custódia da PF, em Brasília, desde 1.º de junho. Ele foi acusado de oferecer propina para o deputado federal Luís Antônio de Medeiros, para ser poupado dos trabalhos da CPI da Pirataria.

Às 13h15, policiais militares, oficiais de justiça e peritos judiciais cumpriram um mandado de busca e apreensão no minishopping Stand Center, na Avenida Paulista. O objetivo era apreender softwares e jogos para computador pirateados. Um rapaz que trabalhava numa das lojas vistoriadas foi detido para averiguação.