A capital italiana tem nesta quinta-feira um dia típico de primavera. Faz 22
graus e a população aproveita o dia de sol para passear nos parques e praças nas
redondezas do Vaticano.

Peregrinos procedentes do mundo inteiro acampam
nas proximidades da Praça São Pedro. Grupos de todas as idades exibem bandeiras
e cartazes com mensagens ao Papa e assistem nos vários telões instalados na
praça ao ritual no interior da basílica, onde religiosos rezam o terço próximo
ao corpo de João Paulo II, numa aérea reservada.

Nessa quarta-feira (6) a
fila foi fechada às 22 horas, com cerca de 1,2 milhão de pessoas. Neste momento,
os peregrinos estão sendo liberados gradativamente, para evitar tumultos. Às 22
horas desta quinta-feira a basílica será fechada à visitação e começam os
preparativos do funeral, marcado para as 10 horas desta sexta-feira (8). Há 120
fotógrafos oficiais acompanhando os chefes de Estado. A cerimônia deve durar
três horas

No sábado, pela manhã, no auditório Paulo VI do Vaticano,
realiza-se a cerimônia de condolências ao colégio de cardeis, na qual os chefes
de Estado cumprimentam os religiosos. Ainda não está confirmada a participação
do presidente Lula na cerimônia.

A montagem da cerimônia de amanhã
prossegue na Praça São Pedro. A cerimônia será ao ar livre. O cardeal alemão
Joseph Ratzinger vai celebrar a missa solene. Depois, o corpo será conduzido à
cripta, no subsolo da basílica, onde será enterrado no mesmo local em que ficou
o corpo de João XXIII até o ano 2000. Ao final da cerimônia o toque de um sino
informará aos peregrinos que o corpo está enterrado.

O conclave, reunião
que elegerá o novo Papa, deve começar no dia 17, na capela Sistina.