Matinhos – No próximo dia 20 encerra-se a intervenção no município de Matinhos. Ainda há a possibilidade de ela ser prorrogada, como também o prefeito Acindino Ricardo Duarte, o Seda, retornar ao cargo. Independente disso, o interventor da cidade, José Maria Correia (PMDB), comemora o ano à frente do município.

“Alcançamos nosso principal objetivo, que era acabar com a corrupção. Cerca de 35 pessoas foram afastadas e com a máquina mais enxuta e sem desvios, o município teve a maior arrecadação de toda sua história, R$ 24 milhões em 2003”, revelou, lembrando que tal arrecadação foi alcançada mesmo com o Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) congelado há dois anos.

Obras

É grande a lista de obras no último ano em Matinhos. Foram feitos 33 mutirões nos bairros, com serviços sociais e limpeza. “Isso somado ao trabalho de dragagem feito pelo governo do Estado fez com que Matinhos fosse a única cidade do litoral não atingida pela enchente”, destacou.

Na próxima segunda-feira, o interventor entrega quatro novos ônibus para transporte escolar. Foram gastos R$ 560 mil na compra deles. Cerca de R$ 1 milhão foi gasto nas reformas da escolas da cidade. “Cada sala de aula ganhou um computador. Este ano vamos fornecer três mil kits escolares com material, mochila e uniforme”, contou, lembrando que o investimento no hospital da cidade também foi em torno de R$ 100 mil. A criação de uma Guarda Municipal com 40 homens, número grande proporcionalmente à população da cidade, também é destacado por Correia.

Futuro

Correia explicou que o governador Roberto Requião (PMDB) pode encaminhar nos próximos dias o pedido de prorrogação da intervenção à Assembléia Legislativa. Quando esteve em Matinhos, no dia que anunciou a compra de parte do prédio da Associação Banestado para ser a Universidade do Litoral, Requião elogiou o trabalho feito na intervenção. “Tem a possibilidade do antigo prefeito voltar, desde que o Poder Judiciário não faça nada com as seis denúncias criminais e cinco ações penais que existem contra ele pelo desvio de R$ 14 milhões dos cofres públicos”, afirmou, destacando que ainda não pensa em se candidatar nas eleições municipais do próximo ano. “Não examinei essa hipótese ainda. Agora só tenho a comemorar, pois Matinhos teve a maior temporada da década”, concluiu.