Duas pessoas ficaram feridas no acidente entre um ônibus e um trem, pouco antes das 16h desta segunda-feira (21), no começo da avenida Prefeito Erasto Gaertner, no Bacacheri. Inácio Soares, 88 anos, e Karina Godoy Soares Fragoso, 22, estavam no articulado da linha Curitiba-Campina Grande do Sul e sofreram ferimentos leves, segundo o soldado Bales, do Siate.

Os dois foram encaminhados ao Hospital Cajuru e machucaram os braços e mãos porque caíram ao correr assustados pelo corredor do ônibus. Outros passageiros também sofreram escoriações, mas não precisaram ser encaminhados a hospital.

Sinal

O ônibus foi atingido na traseira pelo trem. O motorista contou que o sinaleiro no cruzamento com a Avenida Nossa Senhora da Luz, poucos metros depois da linha férrea estava fechado e um veículo parou na sua frente. Para não ficar em cima dos trilhos, ele jogou o ônibus para a lateral. “Consegui passar e tirei de lado, quase peguei um poste na calçada. Mas pegou a traseira”, contou o motorista Gerson Trevisol, 45 anos, que tem 25 anos de profissão.

Segundo Gerson, o coletivo estava com cerca de 100 passageiros. Um deles era Dilce Alves Strapasson, sentada no fundo do ônibus, indo pra casa, e bateu a cabeça num cano. “O trem buzinou muito em cima”, disse. Marisa Goulart, 62, que mora há 17 anos na região, afirmou que eventualmente ocorrem acidentes como esse. “Muitas vezes o motorista não mede o espaço e o tempo do sinal”, analisou.

Nota

Em nota, a América Latina Logística (ALL) afirmou que o maquinista seguiu os procedimentos de segurança normais, acionando o apito e os freios. Mesmo assim, não foi possível frear o trem, com 15 vagões, a tempo de evitar a colisão. A empresa lembra que a linha férrea é preferencial e, após o acionamento dos freios, a composição leva até 500 metros para parar. O cruzamento é sinalizado com placas e sinais sonoro-luminosos, só não há cancela.

Veja na galeria de fotos o acidente.