Sem-terra começam marcha

Um grupo de trabalhadores rurais sem terra de Ponta Grossa inicia hoje uma marcha rumo à capital. Por volta de 6h, cerca de 250 pessoas devem se reunir em frente à Paróquia Bom Jesus, no bairro de Uvaranas. Logo em seguida deve começar a marcha, que segundo o secretário do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na cidade, Marcelo Ishimaru, será contra o imperialismo. Além da manifestação pró-reforma agrária, o movimento busca manifestar sua posição contrária à participação brasileira na Área de Livre Comércio das Américas (Alca) e contra a invasão anglo-americana ao Iraque.

Ishimaru explicou que os manifestantes saem pelo Contorno Sul até chegarem à BR-277, onde iniciarão a marcha. Pelo cálculo do movimento serão percorridos 100 km. “Nossa previsão é chegar a Curitiba por volta de 18h de domingo”, contou Ishimaru. Ele destacou que na próxima segunda-feira o grupo fará um ato público no monumento Antônio Tavares, na BR-277, que lembra o assassinato de um trabalhador rural durante marcha dos sem-terra .

O membro da direção regional do MST de Ponta Grossa, Célio Rodrigues, contou que o grupo ficará acampado no Ginásio do Tarumã. “Ficaremos em Curitiba até o dia 16, até lá acontecerão várias plenárias para discutir o imperialismo, o movimento anti-globalização e a própria reforma agrária”, contou Rodrigues.

Voltar ao topo