De janeiro até agora, Curitiba não registrou nenhum caso de menor de 13 anos infectado pelo vírus HIV, transmissão que geralmente ocorre durante a gestação, da mãe para o bebê. No ano passado, foram registrados três casos ao longo de todo o ano.

O resultado foi divulgado nesta sexta-feira (29), durante a programação do Dia Mundial de Luta Contra a Aids promovida na Boca Maldita, em Curitiba, pela Secretaria Municipal da Saúde e a Comissão HIV-aids/Hepatites Virais do Conselho Municipal de Saúde de Curitiba.

“O número de infectados entre crianças vem caindo gradualmente a cada ano. Mas chegar em novembro sem nenhum caso registrado é uma prova do reforço nas ações de assistência às gestantes em Curitiba”, destacou o diretor do Centro de Epidemiologia, Moacir Pires Ramos.

Desde o início da década de 80, quando foram registrados os primeiros casos de aids, 10.030 pessoas desenvolveram a doença em Curitiba. Além desses, há ainda 3.372 portadores do vírus. Atualmente, cerca de 9 mil pessoas fazem o tratamento e recebem os medicamentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) de Curitiba.

Entretanto, Ramos disse que a evolução do tratamento da aids também teve uma consequência negativa: a redução na prevenção. Segundo ele, percebe-se um considerável aumento de exposição ao vírus, principalmente entre homens jovens que têm relações homossexuais. “A Medicina e a tecnologia evoluíram muito, os medicamentos estão mais eficazes e, com isso, a população relaxou nos cuidados para evitar o contágio do HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis. É necessário retomar as antigas práticas de cuidado e prevenção”, enfatizou.

Teste rápido

Na próxima semana, Curitiba participa da segunda edição do ano da Campanha Fique Sabendo, do Ministério da Saúde, que ocorre entre os dias 2 e 6 de dezembro. O objetivo da campanha é ampliar o acesso aos testes rápidos para HIV/aids e sífilis, que estarão disponíveis em nove unidades de Curitiba.

Todas as 109 unidades de saúde de Curitiba fazem os testes convencionais, que ficam prontos num prazo de até três dias. O teste rápido, que dá o resultado em até 30 minutos, pode ser feito no Centro de Orientação e Aconselhamento (COA), no São Francisco. Durante a campanha nacional, os testes rápidos serão realizados entre 10h e 16h no COA e nas unidades de saúde Bairro Novo, Santa Cândida, Vila Hauer, Cajuru, São Miguel (CIC), Santa Quitéria II, Vila Machado (Pinheirinho) e Santa Felicidade.

Ramos fala que, em 2014, a Secretaria vai ampliar os testes rápidos para serem realizados também em todas as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 Horas e pelas equipes do Consultório na Rua, além de algumas ONGs que atuam nessa área. “Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, melhor será a qualidade de vida da pessoa”, explicou.

Anualmente, são realizados em Curitiba cerca de 100 mil exames HIV por ano – cerca de 55 mil somente no Laboratório Municipal, com aproximadamente 700 exames positivos por ano.