Os moradores de Campo Magro vivem em constante perigo pelas condições ruins da PR-090, a Estrada do Cerne, que corta todo o município. São 11 quilômetros de rodovia com asfalto em estado precário, sem acostamento, passarelas ou mesmo calçadas, colocando em risco a segurança dos pedestres e motoristas. Falta de iluminação e sinalização deficitária também são reclamações antigas. No período letivo, a preocupação fica ainda maior, por conta do número de crianças e adolescentes circulando por entre os carros e arriscando a vida para atravessar a rodovia sem a segurança necessária.

“Período de aula é muito complicado. Todo mundo fica com medo. Esse asfalto novo está há muito tempo prometido e nada”, reclama a comerciante Lidiane Zancanaro. Os motoristas também têm sérios problemas e temem pelos pedestres, que têm dificuldades para fazer a travessia. “Muitas vezes a culpa é do motorista, muitos fazem loucuras. Mas a estrada não é boa, isso aqui é um problema estadual, mas que o governo não faz nada”, afirma o motorista Francisco Cunha.

Marco Andre Lima
Asfalto ruim se soma à falta de acostamento, passarelas e calçadas, colocando em risco a segurança de pedestres e motoristas.

Chico Mecânico, como é conhecido, já viu muitos acidentes e atropelamentos, mas indica que não é preciso muito para que as condições de seguranças sejam melhores na Estrada do Cerne. “Se colocassem acostamento já melhoraria bastante e seriam menos acidentes”, sugere Francisco, que gostaria de ver a reformulação dos 11 quilômetros de extensão da rodovia em meio à cidade. “Só fazem tapa-buraco. Tem que retirar este asfalto e refazer todo ele, aí ficará bom”, pede.

Projeto previsto pra 2014

A reivindicação da população é antiga e apenas em 2014 o projeto de revitalização pode ter início. Ainda este ano, a prefeitura espera que o governo do Estado faça as licitações do projeto e, em seguida, da obra. “Se começar em 2014 ficaremos muito felizes”, afirma Alcione Gaspar Pinto, chefe de gabinete de Campo Magro.

Mas a discussão não será tão simples como em outros pontos, com o Estado definindo sozinho o projeto. Na semana passada, na inauguração do trecho da Estrada do Cerne na região de Castro, nos Campos Gerais, o governo garantiu que a cidade da Região Metropolitana de Curitiba será contemplada. “Aqui é um pouco diferente. Já falamos para o governo, por ser uma área urbana, que queremos participar do projeto, porque temos muitas vias de acesso às nossas localidades”, explica Gaspar.

Marco Andre Lima
Francisco: governo não faz nada.