Os lojistas da Rua 24 Horas buscam ideias para acabar com este esquecimento do público e incentivar a procura por parte dos turistas. “Estamos intensificando para aprimorar o atendimento, como aumentar o número de assentos para os restaurantes”, conta o lojista Luiz Alberto Mazanek.

Outra ideia é fortalecer a Rua 24 Horas como ponto referência para informações turísticas. Já há um grande escritório do Instituto Curitiba de Turismo no local. “O início da Linha Turismo poderia ser aqui. Existe o escritório com as informações turísticas e as pessoas podem se abrigar aqui do frio e da chuva, enquanto esperam o ônibus. Aqui existe toda a estrutura”, sugere Romeu Triedlaender, que tem uma loja de presentes na Rua 24 Horas.

Outra sugestão é montagem de sala vip para quem aguarda o ônibus executivo que vai para o Aeroporto Afonso Pena. O espaço poderia contar, inclusive, com totens das companhias aéreas para antecipar o check-in. O ponto do ônibus especial fica ao lado da Rua 24 Horas.

Saldo

Jucélia Vieira Camargo, do Consórcio M.Camargo, que administra a Rua 24 Horas, revela que existe trabalho com os lojistas para o maior desenvolvimento do local. “Das 17 lojas, 13 estão alugadas. Quatro ainda estão desocupadas por causa do mix que montamos para não repetir segmentos e enfatizar na comodidade de quem visita.