Até o final deste ano, a prefeitura de Curitiba deve lançar edital de licitação para contratar empresa que irá implantar redutores de velocidade mais modernos e seguros nas ruas e avenidas onde é registrada a maior parte dos acidentes na capital.

A iniciativa tem objetivo de reduzir acidentes e toma como base estatísticas do Batalhão da Polícia de Trânsito (BPtran), que registrou durante o ano passado mais de 25 mil acidentes de trânsito na cidade.

Segundo números do BPTran, a redução no total de acidentes, desde a instalação dos primeiros radares, em 1999, foi de 36,5%. Atualmente, Curitiba conta com 110 radares – regulamentados em 60 quilômetros por hora (km/h) e 70 km/h, que variam de acordo com as características da via – e mais 40 lombadas eletrônicas, regulamentadas em 40 km/h.

Com o novo edital, dividido em três lotes, 140 aparelhos usados atualmente serão substituídos por novos equipamentos. No primeiro lote, serão 70 equipamentos para fiscalizar a velocidade dos veículos.

O segundo terá 42 equipamentos que controlarão, além da velocidade, o avanço de sinal e a parada sobre a faixa de pedestres. Já no terceiro e mais completo, 28 aparelhos irão fiscalizar, além das três infrações apontadas no segundo lote, as conversões proibidas realizadas pelos motoristas. Com o novo projeto de licitação, o número de equipamentos poderá ser alterado, bem como o número de pontos de fiscalização.

“O número de acidentes causados pelo avanço de sinal e conversões proibidas em Curitiba é muito alto. Pretendemos reduzi-lo com a implantação desses novos equipamentos”, diz a gestora de Operação de Trânsito do Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR), Guacira Civolani. A previsão apontada por Civolani é que todos os novos radares, que substituirão os atuais, entrem em funcionamento até o final do primeiro semestre de 2009.