Foto: Anderson Tozato

Evento pretende acabar com fama de ?artista de semáforo?.

Profissionalizar a atividade circense e acabar com a fama de ?artista de semáforo?. Para difundir essa idéia, acrobatas, equilibristas, malabaristas, palhaços e outros artistas circenses estão reunidos em Colombo, Região Metropolitana de Curitiba, para a realização da 9.ª Convenção Brasileira de Malabarismo e Circo. Com 12 oficinas e cerca de 400 inscritos, o evento reúne até domingo tanto o iniciante interessado nessas artes quanto profissionais dos malabares.

Encarar o malabarismo como arte é o que prega o malabarista profissional argentino Marco Paoletti, participante da convenção. O artista já viajou por 38 países em busca de diferentes maneiras de aprimorar seus exercícios. Em busca de um público que valorizasse seu trabalho, há dois anos resolveu morar em Berlim. ?Na Europa, o público paga cerca de 40 euros para assistir ao espetáculo, enquanto aqui na América Latina não sou reconhecido como artista?, comparou. A movimentação e a improvisação são apontadas por Paoletti como particularidades dos artistas brasileiros. ?São engraçados e demonstram uma espontaneidade única?, descreveu Paoletti, que ministra uma das oficinas mais procuradas da convenção.

Outra estrangeira participante é a alemã Johanna Rehse, de 20 anos. Depois de um intercâmbio no Rio de Janeiro, em 2005, a jovem começou a praticar malabarismo e agora voltou ao País em busca de aprimoramento. ?Na Alemanha não existem artistas no sinal, as pessoas não entendem que o malabarista deve receber por isso?, contou.

E é justamente essa ?febre do sinaleiro? que a convenção procura combater. ?Temos que acabar com essa fama, pois muitos possuem um grande potencial artístico, que é confundido com essa forma marginalizada de atuação?, criticou um dos organizadores do evento, Felipe Ternes, o ?Palhaço Sarrafo?.

Participação

Os interessados em participar das oficinas ainda podem fazer sua inscrição no evento. A diária é de R$ 30, incluindo alimentação. Mais informações pelo site www.9cbmc.com.br ou pelo telefone (41) 9175-8775.