A oposição garante ter provas concretas contra o presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP-PE). E essas provas deverão ser apresentadas nas próximas horas.

A informação foi dada há pouco pelo líder da minoria na Câmara, deputado José Carlos Aleluia (PFL-BA), no final da manifestação realizada, nesta terça-feira, na capital paulista, contra a corrupção e a impunidade.

"Vamos mostrar provas contra o Severino. Agora, as denúncias vêm de outra fonte, pois o dono do restaurante estava fazendo chantagem. A oposição continua na mesma linha. Severino não tem mais condições de presidir a Câmara dos Deputados", destacou o líder pefelista.

Segunda, em depoimento na Comissão de Sindicância da Casa, o empresário Sebastião Augusto Buani, dono do restaurante no décimo andar de um edifício anexo da Câmara, negou que tenha pago propina mensal de R$ 10.000, ao presidente da Câmara, para poder continuar como concessionário do restaurante da Casa.

O deputado Fernando Gabeira (PV-RJ) também chegou ao Teatro Municipal, no final da caminhada organizada por entidades com a Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo, Associação Comercial de São Paulo (ACSP), entidades sindicais e empresariais, entre outras. Ele também defendeu o afastamento de Severino Cavalcanti.

"A primeira etapa é afastar Severino, que não tem nada a ver com o Brasil. Depois, vamos exigir a punição dos parlamentares envolvidos em corrupção. E, por fim, vamos exigir a conclusão das investigações a respeito do envolvimento do Executivo nos escândalos."

O líder da minoria na Câmara criticou a maneira "como Lula vem protegendo Severino". O líder do PSDB na Câmara, Alberto Goldman, também destacou que, nas próximas horas serão apresentadas provas concretas contra o presidente da Casa. Os parlamentares, contudo, não quiseram adiantar quais seriam essas provas, alegando que elas serão divulgadas em breve.