O governo da Tailândia conquistou uma importante vitória nesta quarta-feira com a rejeição, pelo Tribunal Constitucional, do pedido de anulação das eleições de 2 de fevereiro aberto pela oposição.

A votação não resultou num número suficiente de eleitos para a formação do Parlamento em razão de distúrbios provocados por manifestantes e pelo boicote dos partidos de oposição. A primeira-ministra Yingluck Shinawatra pediu às autoridades eleitorais que programem a realização de novas votações nos distritos afetados.

O processo aberto pelo opositor Partido Democrata afirmava, entre outras coisas, que o pleito não foi constitucional porque a votação não aconteceu em todo o território nacional no mesmo dia. O tribunal informou em comunicado que não encontrou bases para afirmar que as eleições de 2 de fevereiro violaram a Constituição.

A Comissão Eleitoral informou na semana passada que houve problemas em 11% dos distritos eleitorais, a maior parte em Bangcoc e no sul do país, redutos de democratas.

Cerca de 48% dos eleitores aptos a votar foram às urnas em 68 províncias onde o pleito foi realizado, enquanto apenas um quarto dos eleitores participaram da votação na capital tailandesa, onde manifestações contra o governo de Yingluck são realizadas há meses. Fonte: Dow Jones Newswires.