O primeiro-ministro da Rússia, Vladimir Putin, advertiu que seus oponentes podem provocar tumultos após a eleição presidencial de domingo e que podem chegar até mesmo a assassinar uma figura importante da oposição para provocar um sentimento de revolta contra seu governo.

É praticamente certo que Putin vencerá a eleição presidencial, mas as acusações feitas nesta quarta-feira refletem a elevação das tensões quatro dias antes do pleito, além do nervosismo em relação aos protestos que devem acontecer após a votação.

“Eles estão procurando pessoas bem conhecidas para ser a vítima sacrificial”, afirmou o premiê durante reunião com ativistas, transmitida pela televisão. “Eles podem, eu temo, liquidar alguém e responsabilizar as autoridades.”

Provas de fraudes eleitorais em favor do partido do primeiro-ministro nas eleições parlamentares de dezembro deram início a uma série de protestos que exigiam o fim dos 12 anos de Putin no governo. Ele foi presidente entre 2000 e 2008 e primeiro-ministro nos últimos quatro anos.

O premiê também declarou que a oposição deveria respeitar as regras democráticas e respeitar a escolha da maioria. Putin acusou a oposição de preparar fraudes eleitorais, para declarar a eleição ilegítima.

“Temos razões para acreditar que nossos oponentes estão preparando tais ações”, disse Putin. “Eles estão se preparando para fazer qualquer coisa que confirme que a eleição foi fraudada.”

As manifestações realizadas em Moscou anteriormente, que atraíram dezenas de milhares de pessoas, receberam aprovação oficial prévia e foram pacíficas. Putin criticou os planos da oposição de realizar protestos pós-eleitorais, dizendo que é inaceitável prejulgar a votação.

“Nós vamos respeitar qualquer ponto de vista, mas estamos chamando todos para que ajam dentro da lei e usem apenas meios legítimos”, disse ele.

Putin declarou nesta quarta-feira que forças não identificadas no exterior estão planejando fazer provocações contra as autoridades após a votação. Ele tem afirmado repetidas vezes que os Estados Unidos estão encorajando e enviando recursos para proteger líderes manifestantes com o objetivo de enfraquecer a Rússia.

Putin concorre a seu terceiro mandato presidencial, que atualmente é de seis anos. Pesquisas mostram que ele deve vencer facilmente seus quatro adversários – todos aprovados pelo Kremlin – mas suas declarações desta quarta-feira refletem fortes preocupações sobre os planos da oposição. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.