Um modelo português é acusado de homicídio em segundo grau pelo assassinado de um conhecido jornalista português, que foi encontrado morto e castrado num hotel de Nova York. Renato Seabra, de 21 anos, foi hospitalizado horas depois do assassinato, ocorrido na última sexta-feira, e foi preso pela morte de Carlos Castro, de 65 anos, informou o porta-voz do Departamento de Polícia de Nova York, sargento Carlos Nieves.

Castro foi encontrado morto no quarto 3416 do hotel InterContinental New York Times Square, onde os dois estavam hospedados. Seu corpo nu estava no chão, coberto de sangue, e seu órgão genital havia sido cortado. Os legistas concluíram que Castro morreu vítima de uma combinação de batidas na cabeça e estrangulamento, segundo a porta-voz Grace Burgess.

A morte foi considerada ontem um homicídio. Seabra foi detido pela polícia na manhã de sábado depois de ter buscado assistência média no hospital St. Luke’s Roosevelt, próximo do hotel. Mais tarde, ele foi transferido para o Centro Hospitalar Bellevue, onde foi submetido a avaliação psiquiátrica.

Amigos de Castro e Seabra em Nova York dizem que eles formavam um casal. Mas a mãe de Seabra disse à emissora de televisão portuguesa TVIndependente que seu filho “não era amante de Carlos Castro”. Seabra “nunca escondeu sua sexualidade, que ele é heterossexual”, disse Odilia Pereirinha no domingo, antes de viajar para Nova York. A agência de notícias portuguesa Lusa informou hoje que funcionários do governo de Portugal se encontrariam com Seabra.

Castro e Seabra chegaram aos Estados Unidos no final de dezembro para ver alguns musicais da Broadway e passar o Ano Novo em Times Square, segundo um amigo da família. Houve algumas brigas entre os dois no final da viagem, mas nada que sugerisse que algo horrível estava para acontecer, disse o amigo Luis Pires, editor do jornal em língua portuguesa Luso-Americano. “Eu acho que eles estavam um pouco irritados um com o outro, por causa de ciúme”, disse Pires.

No ano passado, Seabra participou de um programa na televisão portuguesa chamado “À Procura Do Sonho”, que busca talentos no mundo da moda. Ele não saiu vencedor, mas conseguiu um contrato de modelo com uma agência fundada pela designer Fátima Lopes, que criou o show e era juíza do concurso. As informações são da Associated Press.