Um palestino foi morto após esfaquear um soldado de Israel em Hebron, na Cisjordânia. Segundo autoridades israelenses, o rapaz de 23 anos atacou a cabeça de um dos soldados, que ficou levemente ferido, e depois tentou esfaquear outro militar quando as forças israelenses atiraram nele.

Em Hebron, ponto constante de violência na Cisjordânia, centenas de judeus ultranacionalistas vivem em assentamentos entre milhares de palestinos.

Segundo a polícia, o incidente ocorreu em um local próximo a uma região de confronto entre manifestantes palestinos e o exército de Israel. A área é sagrada tanto para o judeus quanto para o muçulmanos. Os judeus dão o nome de Túmulo dos Patriarcas ao local, onde, de acordo com a Bíblia, Abraão, Isaac e Jacó foram enterrados junto com três de suas esposas. Os muçulmanos também reverenciam o lugar, chamado por eles de Mesquita de Abraão.

A atual onda de violência começou em setembro em Jerusalém por causa de tensões a respeito da Cidade Velha de Jerusalém, um local sagrado, que rapidamente se espalhou por Israel, Cisjordânia e Faixa de Gaza. Já são onze israelenses mortos por ataques de palestinos, enquanto 57 palestinos morreram em conflitos (sendo 37 agressores e o restante vítimas do confronto com o exército israelense).

Israel afirma que o surto de violência é culpa de incitações de autoridades palestinas. Porém, os palestinos dizem que os confrontos são resultado de quase 50 anos de ocupação israelense. Fonte: Associated Press.