Mais de 4 mil manifestantes da oposição na Armênia tomaram as ruas do centro da capital, Ierevan, pedindo hoje a libertação de ativistas condenados pelos protestos pós-eleitorais de 2008, que deixaram 10 pessoas mortas e 250 feridas.

Os manifestantes pediram que o governo liberte 13 ativistas que foram processados e condenados a penas de prisão por incitarem a violência. O ex-presidente armênio, Levon Ter-Petrosian, que lidera o partido de oposição Congresso Nacional Armênio, apelou à União Europeia (UE) que aumente a pressão sobre as autoridades armênias.

Em 1º de março de 2008, a polícia reprimiu um protesto da oposição logo após as eleições presidenciais. Os choques deixaram 10 pessoas mortas e as autoridades acusaram manifestantes de terem disparado contra a polícia. A oposição negou o ocorrido.