Um dia depois de o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ter criticado os planos do Irã de deslocar dois navios de guerra pelo Canal de Suez, o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, chamou Israel de um “câncer” no Oriente Médio.

“O falso governo sionista é um tumor canceroso e a causa de diferentes doenças e problemas políticos e econômicos na região”, afirmou o líder iraniano durante comemoração do aniversário do profeta Maomé, que pelo calendário xiita cai hoje. “A arrogância está fazendo um grande serviço para preservar este tumor fomentador de guerras, mas hoje a ira dos países da região em relação a este tumor canceroso é mais evidente”, disse Khamenei, segundo a televisão estatal.

Dois navios de guerra iranianos se preparam para cruzar o Canal de Suez pela primeira vez de a Revolução Islâmica de 1979, o que elevou as preocupações de Israel. Ontem, Netanyahu criticou a ação iraniana afirmando que “hoje, estamos testemunhando a instabilidade da região na qual vivemos e na qual o Irã está tentando lucrar, estendendo sua influência ao enviar dois navios de guerra pelo Canal de Suez”.

A passagem dos navios foi adiada para quarta-feira. O Egito autorizou na última sexta-feira a passagem da fragata de patrulha Alvand e do navio de apoio Khang pelo canal. As embarcações se dirigem para a Síria. A aprovação ocorreu uma semana depois da queda do presidente egípcio Hosni Mubarak, antigo aliado dos Estados Unidos na região.

O Alvand, navio de 1.500 toneladas, costuma levar torpedos e mísseis, já o Kharg, que é mais largo e pesa 33 mil toneladas, tem uma tripulação de 250 pessoas e instalações para até três helicópteros, informou a agência de notícias iraniana Fars. As informações são da Dow Jones.