O governo do Irã elogiou nesta sexta-feira a morte de Muamar Kadafi e disse esperar que o desaparecimento do ex-governante líbio leve a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) a encerrar sua intervenção no país magrebino, informa a agência France Presse (AFP).

“O destino inevitável de todos os ditadores e opressores que não respeitam os direitos dos seus povos é a destruição”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast. “A República Islâmica do Irã saúda essa grande vitória e congratula o povo islâmico líbio e o Conselho Nacional de Transição”, disse Mehmanparast.

O regime iraniano, inimigo de longa data de Kadafi, apoiou a insurgência contra o ex-governante. Embora não tenha reconhecido formalmente o Conselho Nacional em Benghazi, o Irã enviou ajuda humanitária e manifestou apoio aos insurgentes. Ao mesmo tempo, contudo, o regime iraniano criticou a operação da Otan, autorizada pelas Nações Unidas.

As informações são da Dow Jones.