O ministro de Finanças da França, Michel Sapin, disse hoje que ainda há base para conversas com a Grécia, apesar de os gregos terem rejeitado as medidas de austeridade propostas pelos credores do país em plebiscito realizado ontem, e pediu ao governo grego que apresente propostas para que as negociações possam ser retomadas.

Se Atenas submeter uma oferta séria e sólida e os países europeus fizerem concessões, inclusive no sentido de reduzir o endividamento da Grécia, há base para discussões, afirmou Sapin em entrevista à rádio francesa RTL.

“Depende do governo grego, do primeiro-ministro Alexis Tsipras fazer propostas o mais rápido possível”, disse o ministro. “A base do diálogo está na mesa, mas depende da Grécia mostrar que está levando isso a sério.”

Os comentários de Sapin vêm antes de uma reunião de emergência hoje entre a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e o presidente da França, François Hollande, em Paris, para discutir a questão grega.

Sapin também disse que a busca de um consenso entre a França e a Alemanha sobre como reagir é absolutamente necessário para se chegar a uma solução. “Nenhuma solução pode ser encontrada se não houver uma profunda e sincera conversa entre Merkel e Hollande.”

O ministro francês comentou ainda que os bancos gregos vão enfrentar enormes dificuldades nos próximos dias, mas ressaltou que o Banco Central Europeu (BCE) vai ajudar a preservar a estabilidade. “O BCE fará o que for necessário”, disse Sapin. “Há um nível de liquidez hoje que não pode ser reduzido”, completou. Fonte: Dow Jones Newswires.