Os governos da França e da Alemanha analisam a adoção de regras orçamentárias mais estritas para alguns dos países do núcleo da União Europeia (UE), para o caso de países com sérios problemas orçamentários colocarem objeções a medidas propostas para equilibrar o orçamento, reportou neste domingo a revista alemã Focus. A revista cita fontes do governo alemão, que falaram sob anonimato.

A Focus afirma ainda que os governos francês e alemão poderão introduzir essa legislação apenas nos países do bloco cuja economia está mais forte e estável, como Áustria, Holanda e Finlândia. Isso poderia ser feito se países como a Grécia bloquearem um acordo europeu mais amplo.

Em troca dessas medidas, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, estaria disposta a transferir algumas das responsabilidades europeias para países ainda bastante céticos com o euro e com a UE, como a Grã-Bretanha.

Ao comentar a matéria da Focus, o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, disse, durante o final de semana, que “o objetivo do governo é fortalecer a estabilidade de toda a zona do euro ao implementar uma série de diretrizes mais restritas para a austeridade fiscal. Com este fim, trabalhamos no Conselho Europeu com todos os nossos países parceiros”.

França e Alemanha deverão apresentar em reunião da UE, até o próximo dia 9, medidas para uma futura harmonização fiscal no bloco. As informações são da Dow Jones.