Explosões ocorridas nesta segunda-feira (21) em duas linhas de ônibus no sudoeste da China provocaram a morte de pelo menos duas pessoas e feriram 14 elevando temores de ações extremistas no país a apenas algumas semanas da abertura dos Jogos Olímpicos de Pequim. As explosões ocorreram em um intervalo de pouco mais de uma hora no centro de Kunming, na província de Yunnan. De acordo com as autoridades chinesas, as explosões foram atos criminosos.

Imagens divulgadas pela internet mostram um ônibus com todas as janelas estilhaçadas e um buraco dentro. A agência de notícias Nova China informou que um dos coletivos atacados ainda podia ser visto diante de uma parada de ônibus e estilhaços de vidros estavam espalhados pela rua.

O governo chinês incrementou as medidas de segurança em seu território para evitar que a Olimpíada deste ano torne-se alvo de extremistas. A polícia intensificou as revistas em estações de metrô e aeroportos e forças de combate ao terrorismo estão cuidando dos locais onde serão realizados os jogos.

Depois das explosões, a polícia de Kunming interditou ruas e estabeleceu postos de checagem para impedir que eventuais suspeitos escapem, dizia uma nota da secretaria de segurança pública de Yunnan na internet.

A primeira explosão ocorreu às 7h05 locais na linha 54; a segunda, às 8h10. As duas explosões ocorreram em cruzamentos próximos na região central da cidade. Não havia mais informações disponíveis. Policiais recusaram-se a falar abertamente sobre as explosões e disseram que novas informações sobre o caso seriam distribuídas pela Nova China, uma agência estatal de notícias.