Uma explosão no sul do Líbano matou nesta segunda-feira (23) Kamal Madhat, um graduado membro e assessor do Fatah, além de três de seus guarda-costas. O ataque ocorreu enquanto o grupo deixava um campo de refugiados palestinos, segundo funcionários do setor de segurança libaneses e palestinos. A explosão, aparentemente de uma bomba instalada à margem de uma rodovia, atingiu um comboio de dois carros enquanto eles deixavam o campo Mieh Mieh, perto da cidade portuária de Sidon, no sul libanês. Um quarto guarda-costas ficou ferido.

O campo Mieh Mieh e o campo Ein el-Hilweh, próximos um do outro, são em grande parte controlados pelo presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, membro do partido laico Fatah. Madhat era um assessor militar, político e de segurança para o representante palestino no Líbano, Abbas Zaki, próximo a Abbas. Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque. Não estava claro se Zaki poderia ser o alvo, já que ele deixara o campo algumas horas antes.

Madhat tinha inimigos dentro e fora do Fatah. Em sua maioria, seus oponentes eram membros de grupos extremistas islâmicos, contrários às negociações de paz com Israel comandadas por Abbas. O Líbano tem 12 campos de refugiados palestinos, que estão fora dos limites das autoridades, por um acordo entre libaneses e palestinos. Acredita-se que alguns fugitivos vivam dentro do campo Ein el-Hilweh, localizado nas proximidades de Sidon.