Com apoio tácito dos Estados Unidos, o Exército israelense atacou um avançado sistema de defesa aérea iraniano em uma base síria na semana passada, de acordo com dados oficiais de inteligência e com fontes, no mais recente sinal de que o governo de Donald Trump está trabalhando com Israel para diminuir a influência de Teerã no Oriente Médio.

Depois de conversar com Trump, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ordenou uma ataque contra a bateria antiaérea recém-chegada para impedir que as forças iranianas a usassem contra aviões israelenses que realizam um número crescente de operações na Síria, disseram algumas fontes. Autoridades israelenses disseram ao governo Trump sobre o ataque planejado com antecedência para que os EUA soubessem de seus planos de atacar diretamente uma base iraniana, de acordo com duas fontes.

Líderes israelenses mantiveram silêncio sobre a ação, mas Rússia, Irã e Síria acusaram Israel de executá-la. Informações fornecidas por funcionários de inteligência e outras pessoas informadas sobre o assunto ofereceram novos detalhes sobre o alvo específico, as metas de Israel e as discussões com Washington.

O ataque na semana passada marcou uma escalada significativa nos esforços de Israel para impedir que o Irã cimentasse sua presença militar na Síria, onde Teerã e o grupo Hezbollah fornecessem apoio vital ao presidente sírio, Bashar al-Assad. O Irã ameaçou revidar Israel, que está se preparando para um confronto mais amplo com Teerã. Um confronto prolongado entre os dois rivais do Oriente Médio poderia criar uma perigosa nova dinâmica na Síria, de onde Trump está tentando tirar as forças americanas de um conflito que não mostra sinais de que deve acabar em breve. Fonte: Dow Jones Newswires.