Os Estados Unidos qualificaram a lei habilitante outorgada no mês passado pelo presidente da Venezuela, Hugo Chávez, como uma “medida antidemocrática”. Na opinião do governo norte-americano, a norma viola a carta democrática interamericana. Por essa lei, Chávez tem poderes para legislar em diversos setores sem necessidade de aprovação do Legislativo.

O subsecretário de Estado para o Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela, disse que o governo dos EUA busca maneiras para “implementar mais eficientemente” a carta democrática, porém ele não entrou em detalhes.

Valenzuela afirmou que cabe agora à Casa Branca nomear um embaixador na Venezuela, porque o Senado terminou sua sessão anterior sem aprovar o nome de Larry Palmer. Ele insistiu que o diplomata norte-americano seria “um excelente embaixador” em Caracas. Chávez, no entanto, era um crítico da indicação de Palmer. As informações são da Associated Press.