O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), divulgou nesta sexta-feira, 11, nota em que repudia a sentença que condenou o líder da oposição venezuelano Leopoldo López, condenado a 13 anos, nove meses, sete dias e 12 horas por incitação à violência. “É inaceitável que o governo brasileiro se mantenha indiferente à situação da Venezuela e de López”, criticou.

Aécio cita o fato de que ele e outras lideranças de oposição foram impedidas de visitar López, o que considerou como “atitude inaceitável de hostilidade contra o Parlamento brasileiro”. “A sentença, proferida por um Judiciário sabidamente submisso aos desígnios do governo Nicolas Maduro, torna mais distante a perspectiva de que as eleições legislativas, marcadas para dezembro próximo, venham ocorrer dentro de um ambiente institucional democrático”, afirmou.

O tucano lembra que o Protocolo de Ushuaia do Mercosul e a Carta Democrática da Organização dos Estados Americanos estabelecem procedimentos e penalidades contra governos que desrespeitem princípios democráticos e direitos humanos, prática que, segundo ele, vem ocorrendo claramente na Venezuela. A nota encerra dizendo que o PSDB se solidariza com a esposa do líder da oposição, Lilian, com a mãe dele, Antonieta, e com todos que lutam por uma Venezuela democrática e próspera.